Vasco da Gama

Após levar gol de empate no final, Luxemburgo diz: “Tem de aprender a ganhar o jogo”

Treinador falou após a partida contra o Avaí

Vanderlei Luxemburgo finalmente estreou no comando do Vasco. O resultado, porém, não saiu como esperado. O Vasco vencia o Avaí até os 48 minutos do segundo tempo, quando Daniel Amorim empatou e frustou os vascaínos. Após a partida, o novo técnico do Vasco falou com a imprensa em São Januário e disse que o Vasco tem que saber como matar a partida.

“O primeiro tempo não foi como a gente imaginava. Eles tiveram um domínio. Criamos pouco. Empataram no fim do jogo. Esse é o problema: no fim, não tem mais jogo. Tem que aprender a ganhar o jogo. Tem que fazer uma falta, a bola não sai. Matar a jogada. Aconteceram coisas boas. A equipe buscou, lutou. Tem muito trabalho pela frente. A coisa não vai ser tão fácil. Vamos ajeitando a equipe. Vamos trabalhar”, disse Luxemburgo.

Confira outros trechos da entrevista de Luxemburgo.

Início no comando
“Estamos iniciando ainda o trabalho. Vamos ter a parada para a Copa América. Temos 40 e poucos jogadores. São muitos jogadores para trabalhar. Vamos ter de olhar isso com carinho. Ver o que podemos fazer com a diretoria. Isso é normal, mas tem que ter calma. Existe uma coisa que as pessoas se iludem muito. Semanas livres. Acham que com isso você ganha vantagem. Uma coisa é ritmo de treino. Outra coisa é ritmo de jogo. Jogando quarta e domingo, você tem ritmo de jogo. Jogando só fim de semana, tem ritmo de treino.”

Malandragem nos jogos
“No futebol tem precisar ser mais malandro. Malandro no bom sentido. Tem que furar a bola. Não é proibido fazer a falta. A falta existe dentro do jogo. Ela existe, não é proibido. É algo que você pode usar no fim do jogo. Ela existe.”

Passes errados
“Erro de posicionamento. Primeiro tempo jogamos com quatro atacantes, e só dois no meio. Como vai ter toque de bola? Tem de aproximar a equipe. No segundo tempo, aproximei um pouquinho mais. É erro. Não jogamos tão agrupados.”

Entrega do time
A vitória hoje era muito importante. Jogando mal tecnicamente como jogamos, mas tivemos coisas importantes. Temos que trabalhar isso. Não jogamos tão bem. Mas gostei dos jogadores, mesmo mal, tentando superar a deficiência técnica.

Sidão
“Eu falei para ele que não quero ele que jogue com os pés. Quero que ele jogue com as mãos. Se goleiro fosse bom com os pés, jogava de centroavante, no meio-campo. Goleiro tem de agarrar, como ele fez.”

Tags
Mais

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar