F1

Ayrton Senna fazia ser diferente as manhãs de domingo para Reginaldo e seus tios

Reginaldo Carlos Suenaga, com 41 anos, nascido e morando em São Paulo-SP começou a assistir F1 aproximadamente em 1986 por influência dos seus tios que assistiam todos os domingos os GPs e Ayrton Senna correr.

Em 1986, depois que a seleção brasileira foi eliminada da Copa do Mundo, Ayrton Senna venceu o GP de Detroit, pegou pela 1ª vez uma bandeira e dá uma volta no circuito. Isso foi algo muito forte para o povo brasileiro, pois ele não levantava apenas uma bandeira, mas sim um orgulho de um país que estava chorando uma derrota muito dolorida.

“Neste momento, acredito que não só para mim, mas toda uma nação começou a olhar o Ayrton Senna com outros olhos e querer saber quem era ele, de onde veio e qual sua história. Com isso o mundo começou a ter um carinho e admiração muito grande pelo Ayrton e ali o começo do ídolo brasileiro”, diz Reginaldo.

“Nunca pensei em correr, pois na época um kart não era tão acessível para mim. Como sabemos corridas além de muita dedicação e persistência é um esporte caro e para poucos, infelizmente. Mas eu gostava muito de velocidade e experimentava isso andando de bicicleta, patins e o legal mesmo eram as disputas com os amigos com os carrinhos de rolimã, que nós mesmos construíamos com umas madeiras usadas e um punhado de pregos”, diz Reginaldo.

Nessa época também cresceu a paixão por automóveis e automobilismo, Reginaldo não assistia somente F1, mas também a F-Indy, Stock Car, Moto GP, e tudo que era relacionado à velocidade, e também houve influência nos jogos de videogame que é um item que ele gosta muito, e os principais jogos sempre eram os de corridas e de esportes.

Reginaldo teve uma influência muito grande do automobilismo, criou em si essa paixão e gosto por carros em geral, o gosto de ver, ler, dirigir e admirar todas essas máquinas sobre rodas. Ele admira desde aqueles carros do comecinho (lá pelos anos de 1880/1900) até os carros atuais com alta tecnologia e carros conceito, isso acabou moldando sua história de um jeito ou outro.

Arquivo Pessoal de Reginaldo

Seu ídolo, assim como para muitos brasileiros, continua e sempre será o querido Ayrton Senna, pelo motivo de ser um incomparável e insuperável esportista e excelente pessoa. Ele tem uma modesta coleção de itens do Ayrton, onde incluem os carros pilotados, estátuas, revistas, camisetas, bonés, capacetes na escala 1/8 e 1/2 (e seu sonho é ter um em escala real) e adesivos, itens que hoje são seus preciosos.

“Eu gostaria de aproveitar e agradecer minha linda esposa Edvania Santos que também é fã, mas não como eu (rsrsrs), mas que sempre me apoia quando quero comprar algum item do Ayrton Senna e também sempre me acompanha em todas as exposições e eventos relacionados ao piloto, só quero dizer um ‘muito obrigado’ e ‘te amo’”, diz Reginaldo.

Nas corridas seguintes à de Ímola foi muito difícil, ele assistiu com aquela impressão de que o Ayrton Senna apareceria na tela, faria sua volta voadora para a pole. Ficava aquela coisa de não acreditar no que tinha acontecido, mesmo assim continuei assistindo, mas com menos frequência e torcendo para nossos pilotos brasileiros principalmente na época do Rubens Barrichello.

Sempre tive muita admiração pelos pilotos brasileiros principalmente por Emerson Fittipaldi, Ayrton Senna (Ídolo eterno) e Rubens Barrichello além dos pilotos das nossas categorias nacionais. Hoje minha torcida é pelo Lewis Hamilton pelo ótimo piloto e pelas grandes corridas que vem fazendo nesses 5 títulos, e também pela paixão que tem pelo automobilismo e por nosso ídolo Ayrton Senna.

“Senna foi um cara que inspirou e inspira gerações não só como piloto, mas como pessoa, é um grande exemplo de garra, persistência, determinação, superação, perfeição, motivação, dedicação, paixão e fé. Nos mostra que podemos acreditar nos nossos sonhos e nunca desistir porque somos capazes de chegar lá”, diz Reginaldo.

Arquivo Pessoal de Reginaldo

A diferença de Senna para os outros pilotos, além da técnica é que o dia dele tinha 25 horas, tinha a capacidade de trabalhar mais, ele era inteiramente focado no trabalho, mas ao mesmo tempo tinha o lado garotão, o lado brincalhão, o lado feliz.

Senna era uma pessoa espetacular, o herói das nossas manhãs de domingo que virou praticamente uma confraternização em família, o brasileiro, ou acordava mais cedo ou dormia mais tarde para assistir as corridas, ele passou a condição de ídolo esportivo ele virou um herói mundial. A F1 perde um gênio e o Brasil um ídolo e herói.

“Senna é uma linha que podem se espelhar para seguir, vocês são o futuro desse país, são o nosso futuro, ninguém nasce sabendo, então corra atrás, batalhe para conseguir o que deseja, treino, se comprometa, dedique sua vida a aquilo que você faça, tenha esperança, perseverança e ame as pessoas”, diz Reginaldo. “Orgulhe-se do Brasil, assim você inspirará outras pessoas para um país melhor”, diz Reginaldo.

“E como nosso herói disse: ‘Seja quem você for, de qual classe social for, tenha sempre como meta, muita força, muita determinação, e sempre faça tudo com muito amor e com muita fé em Deus, que um dia você chega lá, de alguma maneira você chega lá’”, finaliza Reginaldo.

LEIA MAIS

Pedro faz miniaturas de pilotos e cenários da Fórmula 1

 

Tags
Mais

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar