Vasco da Gama

De volta à Colina, Luxemburgo diz: “São Januário faz diferença”

Treinador falou com os jornalistas após vitória sobre o São Paulo

O Vasco voltou a atuar diante do seu torcedor e não decepcionou. Diante de 20 mil torcedores, o Gigante bateu o São Paulo por 2 a 0. Após o jogo, o técnico Vanderlei Luxemburgo falou em entrevista coletiva.

Luxemburgo agradeceu o carinho do torcedor com a equipe mesmo depois da derrota dolorida no clássico com o Flamengo e disse que o apoio foi fundamental.

“Temos que parabenizar o torcedor. Viemos de uma derrota de quatro, onde o time não foi tão bem. Durante a semana nós conversamos forte e a torcida identificou. Esse grupo está demonstrando que as coisas estão acontecendo, estão se dedicando, se aprimorando, mesmo com todas as dificuldades. Hoje eles viram o que é o Vasco: uma torcida apaixonada, que apoia. Eles brigaram, lutaram e nos ajudaram. São Paulo teve um jogador expulso que dificultou muito, porque eles só podiam sair nos contra-ataques”, disse o treinador.

Sobre Talles Magno, que marcou seu primeiro gol pelos profissionais, Luxa disse que ele não é o salvador da pátria e que aos poucos ele vai conquistando seu espaço.

“Tem que deixar o Talles jogar. Não adianta definir se é craque ou não. Ele está buscando seu espaço. No Brasil nós temos isso de achar que um jogador de 17 anos é o salvador da pátria, mas não é assim. Tem que deixar jogar aos poucos”, disse Luxa.

O treinador falou também sobre voltar a atuar em São Januário, onde o Vasco tem um excelente aproveitamento. Novamente Luxemburgo reiterou o desejo de mandar todas as partidas na Colina Histórica.

“São Januário faz diferença. Jogar em casa é um privilégio. Não tem nenhuma equipe no Brasil que sai da sua casa e ganha todos os jogos. Então nós temos que jogar aqui. Queria que fosse uma arena com 40 mil pessoas pra empurrar ainda mais”, falou o treinador.

Confira outros trechos da entrevista

Nome saudado pelo torcedor
“Hoje deu certo, então o torcedor gritou meu nome. Quando não der certo eles vão me chamar de ‘Luxemburro’, até porque é fácil trocar o ‘G’ pelo ‘R’ (risos).”

Escalação do time
“Hoje foi uma necessidade, uma análise do time do São Paulo. Tentei fazer o que fiz no jogo passado. Recuei o Pikachu e abri o Raul, mas mantive a estrutura do time.”

Rossi de volta
“Rossi é um grande jogador. Temos uma semana para trabalhar. Eu forcei um pouco a situação porque achei que ele só aguentaria 20 minutos. Mas com um jogador a mais e com jogadores de defesa deles amarelados, eu preferi apostar. O importante é o elenco estar à disposição.”

Tags
Mais

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar