Vasco da Gama

Diretoria do Vasco promete investir em restruturação e modernização de São Januário para os próximos anos

Com uma previsão de R$ 208 milhões de gastos, a capacidade total do estádio passaria de 21.880 pessoas para 41.442 e a expectativa é de que tudo seja concluído até 2027

O Gigante da Colina realizou nesta terça-feira (18) o evento Vasco Transparente, um encontro entre o Vasco com investidores. A conferência ocorreu na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro às 20:30 horas de Brasílias, após duas horas de atraso. Na ocasião, foram apresentadas propostas de investimentos, quitação de dívidas e restruturação em São Januário e nas outra instalações vascaínas.

O vice-presidente de Obras e Engenharia do clube, Pedro Seixas, se mostrou preocupado com diversas regiões na infraestrutura do clube. Uma delas foi a localização. Ele sugeriu uma possibilidade de construção de uma via de BRT que circulasse próximo a São Januário, assim como a criação de 1.400 vagas de estacionamento.

Pedro Seixas em sua apresentação na noite de terça-feira. (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

A primeira etapa do Plano Diretor já está em processo de edificação. Ele foi iniciado em outubro deste ano e tem previsão de término para março do ano que vem. O objetivo do plano é orientar intervenções de remodelagem completa do Complexo de São Januário, considerando ações de curto, médio e longo prazo.

Para 2019, estão previstas melhorias na iluminação e no gramado no primeiro semestre. Para o segundo, os principais aperfeiçoamentos a serem feitos serão nos setores leste e norte. No primeiro, reparos nos serviços de bastidores dos jogos (vestiários, imprensa, arbitragem) e nos banheiros e bares de uso da torcida. Para o segundo, as ideias são de uso do setor como anfiteatros para shows, reforma dos camarotes e área de convivência para torcedores no pré-jogo.

Sobre o estádio, Seixas exibiu planos de reforma que pretende executar em breve. Entre elas, está a transferência dos camarotes para as sociais e as salas administrativas para torres que serão construídas futuramente. Tais torres serão de uso comercial, com museu, loja e restaurante.

Os setores contarão com novas melhorias. O setor leste (B e B+) terá uma expansão significativa, com cobertura, 70 camarotes em dois níveis, 4.512 assentos vips cativas, novos bares e sanitários. Já o sul, possuirá um setor modernizado de arquibancada sem assentos para 15.145 pessoas, outra posição da torcida visitante, cobertura e telão. Enquanto o setor C compreenderá em uma nova arquibancada para os torcedores do Cruz-Maltino. Isso aumentaria a capacidade do estádio para 41.442 pessoas.

A expectativa de conclusão do projeto é pra daqui a quase uma década. (Foto: Reprodução)

Outro sonho antigo do clube é a criação de um Centro de Treinamento, e ele já teria um lugar definido: Vagem Grande. Seixas revelou que existem conversas adiantadas para o terreno do CT e um possível segundo terreno. O custo desta idealização gira em torno de R$ 45 milhões. O parque aquático e a torre esportiva do Vasco também passariam por inovações.

O orçamento final é de R$ 208 milhões de reais e a expectativa é de finalizar tudo até 2027. Para isso, o Vasco quer estabelecer um fundo imobiliário de investimento. Parte do dinheiro seria oriundo de vendas de camarotes do estádio.

Tags
Mais

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar