Basquete

Do ressurgimento ao protagonismo: Veja como o Botafogo atingiu, em pouco tempo, o protagonismo no Basquete Masculino

Equipe que retornou as atividades em 2015, cresceu de forma meteórica e já coleciona bons feitos na modalidade

O Botafogo conquistou na última sexta (13), o título inédito da Liga Sul-Americana de Basquete Masculino, ao conseguir duas vitórias contra o Corinthians, na casa do adversário.

A equipe que retornou as atividades da equipe profissional em 2015, 13 anos após acabar com a equipe profissional de Basquete Masculino, por falta de verba, começou a ser apresentada para o Brasil em 2017, quando participou da Liga Ouro, a segunda divisão do Basquete Nacional.

Foto: Site Botafogo

Ainda sob o comando de Márcio de Andrade e com um elenco jovem, mas com Arnaldinho e Jamaal como principais jogadores, a equipe fez grande campanha com 11 vitórias em 16 jogos. Na fase de grupos, o Botafogo só perdeu dois jogos. Na semifinal bateu o Blumenau por 3 x 1, na melhor de cinco jogos e na final venceu o Joinville por 3 x 2, com direito a superlotação no Oscar Zelaya na última partida. O Botafogo se voltaria naquela noite, para a elite do Basquete Nacional após 15 anos.

O planejamento para o NBB 2017/2018 ainda era modesto. A equipe seguia buscando recursos para se reforçar e a meta era ir aos play-offs em seu primeiro ano de NBB. Jamaal, que seria o grande destaque na equipe na Liga Ouro, sofre com lesões e desfalca o time em boa parte da temporada. Guga Cecato, que também teve boa participação na Liga Ouro, assumia o protagonismo e tentava conduzir o Botafogo.

Mesmo com uma campanha muito instável, o Botafogo conseguiu ficar com a última vaga dos play-offs e se credenciou para enfrentar a boa equipe do Caxias-RS, que tinha Léo Figueiró como auxiliar técnico e um dos destaques da Competição: Cauê Borges.

Foto: Site Botafogo

O Botafogo não foi páreo para o Caxias-RS, que fez 3 x 0 na série de cinco, ganhando a primeira no Oscar Zelaya, após o jogo ir para a prorrogação e venceu os dois jogos em Caxias. O Botafogo havia cumprido a sua meta em sua primeira temporada na elite do Basquete e com um investimento reduzido.

A partir da temporada 2018/2019, as coisas começaram a mudar no Botafogo. A equipe conseguiu um patrocinador pontual, que permitiu um investimento maior no Basquete e consequentemente a montagem de um time mais competitivo. O primeiro reforço da equipe foi o técnico Léo Figueiró, assistente técnico do Caxias e que jogou pelo Botafogo ainda como profissional, Léo participaria da montagem de um elenco que daria o que falar naquela temporada.

Foto: Site Botafogo

Com a verba do patrocínio entrando, o Botafogo saiu na frente e foi ao mercado primeiro que as equipes com mais recursos e logo fez boas contratações, como Cauê Borges, melhor Ala do NBB 2017/18, Henrique Coelho, Arthur Bernardi e Ralf Ansaloni, além de manter os principais jogadores da temporada anterior como, Jamaal Smith, Guga Cecato e Fabrício.

Logo no Campeonato Carioca, o Botafogo já mostraria que seria uma equipe diferente da temporada anterior. O Botafogo venceu o Vasco nos dois confrontos e foi a final contra o Flamengo, onde foi Vice-Campeão. Era o começo do trabalho de Léo Figueiró.

Logo no início do NBB, o Botafogo já mostrou a sua cara, ao bater a forte equipe do Franca, atual Campeã Paulista, na ocasião, fora de casa. A equipe de Léo Figueiró cresceria ainda mais na competição e fecharia o primeiro turno entre os oito melhores times da competição, se credenciando para participar da Copa Super-8, onde eliminaria um dos favoritos, o Pinheiros, fora de casa. O Botafogo caiu na semifinal para a equipe do Flamengo.

A equipe continuaria crescendo na competição e entraria nos play-offs sendo visto com outros olhos pelos seus adversários. O primeiro adversário foi o São José e o Botafogo ganhou as duas primeiras partidas, uma fora e outra em casa, confirmando o favoritismo e avançando sem sustos para as quartas de final, onde enfrentaria novamente o forte Pinheiros. Após vencer as duas em casa e perder as duas fora, o Botafogo eliminou o Pinheiros vencendo o quinto e decisivo jogo na casa do adversário.

Na semifinal, o Botafogo enfrentaria o seu maior algoz da temporada, o Flamengo. O Glorioso engrossou o confronto e venceu o terceiro jogo, fora de casa, levando o quarto jogo para seu Ginásio, com boas possibilidades de forçar o quinto jogo. Mas a superioridade do forte elenco rubro-negro pesou e o Flamengo bateu o Botafogo no Oscar Zelaya, classificando-se para a final. Ao Botafogo, ficou a sensação de dever cumprido, os aplausos da torcida e ressurgimento da equipe no cenário nacional. O Botafogo teria mais responsabilidades na próxima temporada.

Foto: Site Botafogo

A temporada 2019/20 começava e o Botafogo vinha com boas mudanças no elenco. Lucas Mariano, Du Sommer, Paulinho Boracini, Wesley Sena e Freddie Mcswain seriam os reforços da equipe. O começo da temporada já mostrou que a equipe não viria para brincadeira, ao vencer logo na segunda partida do Carioca a equipe do Flamengo. Nas finais, o Rubro-negro levou a melhor na série de três partidas, vencendo por 2 x 1.

No NBB, a equipe não começaria bem, apesar de bater a forte equipe do Minas fora de casa, os comandados de Léo Figueiró dividiriam sua atenção com a Liga Sul-Americana de Basquete e começaria a temporada acumulando viagens. Enquanto o começo do NBB não era animador, a equipe iria para San Andrés-COL, para disputar as quartas de final da Liga Sul-Americana.

A estreia na competição seria com derrota, com o Salta Basket, mas depois com vitórias sobre Nacional e San Andrés, a equipe conseguiria a classificação para a semifinal. Paralelo a competição Sul-americana o Botafogo não ia bem no NBB e ficaria com uma sequência negativa de cinco jogos sem vitória, com direito a derrota em casa para o Paulistano e uma acachapante derrota para o Corinthians, no Vlamir Marques, onde sofreria mais de 100 pontos.

Foto: Site Botafogo

Mas as viagens começaram a diminuir e o Botafogo começou a ter seu elenco, quase que completo, a disposição. Veio a semifinal da Liga Sul-Americana e os desafios seriam complicados. Logo de cara, o Salta Basket, única equipe que venceu o Botafogo na competição, até aquele momento. Apesar do jogo parelho, o Botafogo só conseguiu a virada no último segundo, em bola sensacional de Arthur Bernadi. Era a primeira vitória do Glorioso. Na sequência, a equipe bateria o Nacional e decidiria a vaga com os donos da casa, o Ciclista Olímpico. Em uma partida onde a equipe chegou a ficar 17 pontos atrás do marcador, no último quarto, Jamaal Smith entrou em cena e roubou o protagonismo e com 24 pontos, liderou uma virada heroica e colocou o Botafogo nas finais da competição.

Antes da final da Liga, mais viagens. O Botafogo enfrentaria o Flamengo fora de casa e iria para São Paulo, enfrentar Bauru e Franca. O Glorioso perderia para o Flamengo, venceria o Bauru e perderia para Franca, antes de enfrentar a equipe que mais lhe fez pontos, em uma partida, nessa temporada, o Corinthians.

O jogo na Arena Carioca 1 teve o apoio da torcida alvinegra, mas o Corinthians foi soberano do início ao fim e conquistou uma vitória incontestável, colocando uma mão na taça, já que o Botafogo precisaria bater o Corinthians duas vezes, as duas na casa do adversário, e foi ai que mais uma vez o insubestimável Botafogo entrou em ação. Porém antes, a equipe bateria o Rio Claro, pelo NBB.

Foto: Site Botafogo

Na primeira partida em São Paulo, o Botafogo liderou do começo ao fim e devolveu a sacolada incontestável que havia levado no Rio. O Botafogo estava vivo na decisão e mostrou mais uma vez força fora de casa, quando muitos já achavam que o Glorioso estaria morto na decisão. No último e derradeiro jogo, mais uma vez uma atuação do tamanho do Botafogo e mais uma vitória. Título inédito e merecido dessa equipe que ressurgiu em 2015, voltou a aparecer em 2017, mas que hoje, vira protagonista no Basquete Nacional.

Léo Figueiró, que com as boas campanhas do Botafogo, foi convidado a treinar as Seleções de base e logo depois para ser auxiliar técnico na equipe principal. Para muitos, Léo já figura entre os três melhores treinadores do Brasil, nesse momento. Outro que vem ganhando o status de ídolo, é Jamaal Smith, que vem sendo decisivo nos momentos que a equipe precisa.

A temporada não acabou, nesse momento, o Botafogo ocupa a 10° posição do NBB, mas, certamente ninguém ousa a duvidar desse time, que foi do ressurgimento ao protagonismo, em pouco mais de dois anos.

Tags
Mais

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar