F1Motor

Fórmula 1: para Bernardo não tem nada melhor do que o som dos motores

José Bernardo da Silva Filho, de 45 anos nascido e ainda morando em Fortaleza/CE, começou a assistir Fórmula 1 em 1983 porque gostou do som dos motores durante a corrida.

Bernardo viu que Ayrton Senna seria um grande piloto desde o GP de Mônaco em 1984, pois era o ano de sua estreia na Fórmula 1 e por passar de cinco campeões da época debaixo de muita chuva, mostrando que era um gênio.

Bernardo era inspirado pela F1 e, com isso, sonhava em ser piloto, igual seu ídolo: é Ayrton Senna, simplesmente por ele ter sido o melhor piloto de Fórmula 1 de todos os tempos.

Por falta financeira e de patrocínio, ele não virou piloto, porém ele quis trabalhar na área mecânica, mas não na área automotiva e sim industrial. Ele gosta muito de máquinas, como: torneiro mecânico, fabricação de engrenagens, dentre outros.

“Em maio de 1994 parei de assistir, mas voltei a ver na temporada de 1995 e vejo até hoje. O melhor piloto da atualidade é Lewis Hamilton. O segundo melhor, para mim, é Michael Schumacher, apesar de ter parado de correr, porque os dois são os que mais chegaram perto de Senna no talento e dedicação”, diz Bernardo.

Ayrton Senna foi um atleta completo. Se dedicou ao máximo, chegando a ultrapassar os seus limites e os limites do carro, e foi um grande ser humano demonstrando humildade fora das pistas.

E, em sua homenagem, Bernardo fez uma tatuagem em seu braço do rosto de Ayrton Senna, veja a foto abaixo:

Arquivo Pessoal de José Bernardo da Silva Filho

“A Fórmula 1 é um mundo para poucos. Sejam persistentes, dedicados e, principalmente, tenham empenho para vencer”, finaliza Bernardo.

LEIA MAIS

André Dellan, seu acompanhamento com corridas e torcidas contra Ferrari

Ayrton Senna é o eterno ídolo de Alysson Vilela

Valdir conta como começou a assistir F1

Tags
Mais

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar