F1Motovelocidade

Jonatha assistia Fórmula 1 com seu irmão por causa de Ayrton Senna

Jonatha Fabrício Michereff nasceu em Joinville-SC e começou a assistir Fórmula 1 por causa de seu irmão, para assistir Ayrton Senna correr.

Ele começou a assistir Fórmula 1 em 1993, quando ele tinha apenas 6 anos. Seu irmão não perdia uma corrida do Ayrton Senna.

“Na época eu apenas assistia e gostava, mas não sabia nada mesmo. Lembro que depois da morte de Ayrton Senna, meu irmão parou de ver F1. Com isso, eu cresci e hoje pai de família com 2 filhos e com 32 anos, que realmente entendo seu legado e ensinamento que aplico em minha vida”, diz Jonatha.

Quando criança, Jonatha lembra que depois da corrida,  ele queria pegar uma bandeira e sair correndo na rua de sua cidade, pois não tinha autódromo e com isso as pessoas não tinham muito contato com o automobilismo.

O que tinha em sua cidade era uma pista onde havia corridas de motos. Sua história com automobilismo foi que ele sempre gostou de carro, pois eles sempre lhe atraíram. A velocidade, a disputa é algo que ele gosta porque é um esporte que depende de um piloto e de uma máquina, nada mais.

“Eu corro mais de moto e quando posso levo meus filhos nas corridas. E hoje eu posso dizer que meu ídolo Ayrton Senna, porque vejo nele tudo que um homem deve ser, não apenas o piloto de F1, mas sim o ser humano”, diz Jonatha.

Depois que ele morreu Jonatha e sua família não veem mais. Ele acha que o encanto da F1 foi junto com a morte do brasileiro. Hoje ele acompanha somente a moto GP porque vê ali boas disputas.

“Ayrton Senna para mim foi um grande, um enorme exemplo de ser humano e um verdade patriota que amava seu país. Na minha opinião, todo brasileiro tem um Senna dentro dele, só tem que deixá-lo sair e nunca desistir, onde há a possibilidade de vitória”, diz Jonatha.

“Ayrton Senna lutava até o final e mostrava isso nos domingos com vitórias ou com desistência, mas não por falta de luta. Todos nós temos sonhos porque sem eles não há graça de viver. Quem vive sonhando  tem sempre muita força de vontade, fé em Deus. Use as armas Deus instalou em você, e nunca esqueça quem você é e de onde vem, e não tenha vergonha de nada, pois todos nós somos iguais. Então seja seu sonho grande ou pequeno, sonhe isso sempre e o deixe motivado para viver e continuar lutando”, finaliza Jonatha.

Tags
Mais

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar