Campeonato BrasileiroCearáFutebolSérie AVasco da Gama

Objetivos de última hora

Ceará e Vasco terminam o Brasileiro em jogo pouco empolgante mas que tinha grande importância para os dois.

Ceará e Vasco se encontraram na Arena Castelão para disputar a última rodada do Campeonato Brasileiro. Os objetivos estavam definidos e a vitória era esperada pelos dois lados. O Ceará sonhava com uma vaga na Sul-Americana de 2019 para premiar o técnico Lisca pela campanha realizada com o time. O Vasco ainda estava preocupado com a possibilidade de ser rebaixado pela quarta vez e tinha que fugir do Z-4. Um jogo morno, de pouca emoção e chances criadas, mas com missões ainda a serem cumpridas – e nem todas foram.

Jogo desinteressante deixa Vasco termina com empate justo. (Foto: Julio Caesar/O POVO)

PRIMEIRO TEMPO

A partida começou com muita cautela. O Ceará deixava o Vasco com a posse de bola, que passava de 60%, e esperava uma bobeira para tentar um contra-ataque. A torcida vascaína comemorou aos dez minutos um gol de Maxí López, que foi anulado por estar impedido. Mesmo sem o domínio da partida até ali, o Vozão tinha mais força quando estava com a bola.

Os donos da casa empataram na posse de bola e passaram a ser mais efetivos quando iam ao ataque. Sabendo que o time era rápido, Alberto Valentim pedia para que seus jogadores se atentassem aos contra-ataques. Ao fim da primeira etapa, era possível observar o que viria nos próximos 45 minutos: um Vasco que não consegue finalizar e um Ceará que chega mas não marca.

SEGUNDO TEMPO

Já aos três minutos o Vovô chegou perto de estrear as redes de Fernando Miguel, mas nada aconteceu. O Gigante da Colina conseguiu armar alguns raros contra-ataques, porém os vascaínos se mostravam tecnicamente limitados para convertê-los em gol. Maxí López, estrela do time, estava apático e não conseguiu desempenhar o mesmo futebol das últimas rodadas. Claramente uma das piores partidas do argentino pelo Cruzmaltino. Apesar do dia ruim do camisa 11 e da falta de criatividade dos jogadores de frente, a equipe carioca voltou melhor para o segundo tempo. Mesmo sem conseguir encontrar um gol, o time se mostrou com vontade o tempo todo.

Jogo de poucas oportunidades na Arena Castelão. (Foto: Carlos Gregório Júnior/Vasco.com.br)

Com uma torcida incansável durante os noventa minutos, o Ceará se empolgou e foi a frente. Em jogada feita por Richarlison e Samuel Xavier, Arthur finalizou dentro da pequena área e só não abriu o placar porque o zagueiro Werley estava ali para salvar. Os cearenses faziam o que queriam na defesa dos adversários. Tinham pleno controle do jogo. Não se esforçaram em nenhum momento para conseguir e manter o jogo nas mãos.

Com a entrada de Marrony no lugar de Caio Monteiro o time do Vasco se animou e passou a arriscar mais vezes. Mas nada que impedisse os donos da casa de chegar com perigo ao gol vascaíno. Juninho finalizou de muito longe e obrigou Fernando Miguel a fazer uma defesa complicada. E ainda teve o Richarlison que chegou bem a área do Vasco mas foi bloqueado por Leandro Desábato. Já chegando no fim, Samuel Xavier recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Com isso, o Gigante da Colina só precisava segurar o empate para permanecer na primeira divisão – e fizeram.

Com o término da 38ª rodada, as situações finalmente se definiram. O Vasco ficou em 16º, primeiro fora da zona da degola, e se safou da Série B. Contudo, o empate em zero a zero não foi capaz de classificá-los para a Sul-Americana, que era um objetivo secundário dos cariocas. O Ceará, que almejava a competição internacional, ficou com 44 pontos figurando na 15ª posição e não conseguiu cumprir a missão desta partida. Ainda assim, ambos saíram satisfeitos do Brasileirão e vão em busca de uma temporada 2019 melhor.

Tags
Mais

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close