F1

Comandante Oliveira: de fã a piloto oficial de Ayrton Senna

Comandante Oliveira encontrou por acaso com um amigo seu e o mesmo lhe apresentou ao Ayrton Senna. A partir daí, ele virou piloto oficial de brasileiro.

Oliveira voava para o Banco Real, um LearJet já há 7 anos. Ele estava uma vez no aeroporto a noite (às 20 horas mais ou menos), com os amigos, já tinha voado, estava lá fazendo hora no aeroporto e vendo Ayrton, que era um LearJet também, na época, estava no pátio da Líder Taxi e é onde ele guardava avião.

O avião do Banco Real ficava na Líder e o Ayrton, quando estava no Brasil, ficava na Líder, também. O piloto dele, na época, era um brasileiro que voava com um freelancer, porque o avião tem dois comandantes. O comandante chefe e tem outro comandante também.

Esse comandante tinha sido colega de Oliveira, na Líder, e ele estava lá no pátio e o Ayrton Senna estava querendo um segundo piloto, ele não queria ficar voando com freelancer, e sim dois pilotos fixos.

Aí, o atual piloto de Senna o amigo de Oliveira, lhe viu, o Ayrton estava saindo para o Grande Prêmio do México, já tinha feito o plano de vôo, e o Oliveira estava ali para o pátio. E, quando os amigos tinham conversado, Oliveira pediu o piloto pegar um autógrafo do Senna.

Com isso, seu amigo apresentou o Oliveira ao Senna, que estava querendo trocar o avião. Ele já pilotou um avião inglês, um avião maior, e o Senna como queria trocar para esse avião, pois ele tinha um LearJet, que era muito estreitinho, muito desconfortável, não dava para ficar de pé e esse outro avião tinha essa opção.

De repente veio o Ayrton conversando que seu piloto falou que Oliveira já voou HS, já voou LearJet. E, claro, ele confirmou que tinha a carteira dos dois, inclusive tudo válido ainda.

Senna perguntou a Oliveira se ele se incomodava de lhe mostrar o avião aí, que ele falou que é muito bom. Ayrton pediu para ligar a parte elétrica, para ele ver como era, e tal. Bom, resumo da ópera, ele ficou duas horas dentro do avião, o voo dele, atrasou, o piloto toda hora fazer um novo plano de voo, porque a cada hora vence.

Ayrton Senna era muito detalhista. Ele queria saber tudo nos mínimos detalhes. Lhe deu um aperto, perguntando: “como é isso, como é aquilo” e Oliveira explicando. Chegou no fim, Ayrton falou que tnha que ir embora, ir para o México.

Aí do nada Ayrton falou: “gostei de você, você quer voar para mim?”. Oliveira não acreditando fez aquela pergunta: “o quê?”. Na hora ele levou um choque, e se perguntou: “voar para meu ídolo?”.

Mas, Oliveira virou e falou: “se você me der um mês para eu dar um aviso prévio no banco, eu vou, eu quero, você me dá um mês?”. E Ayrton Senna topou dar esse um mês, falou: “daqui um mês eu vou estar na Alemanha, você fala com meu pai, pega um avião de carreira, vai lá para a Alemanha, a gente se encontra e a partir de lá, a gente começa a voar”.

Aí Oliveira concordou, Ayrton entrou no avião, foi para o México. Desse dia até um mês depois, Oliveira já tinha pedido as contas no banco, pegou uma passagem, foi ao encontro de Senna e eles começaram a parceria. E chegou trabalhar 1989, 1990 e 1991.

Em 1989 Senna já era campeão. Foi campeão em 1988, já em 1989 teve aquele rolo com Prost perdendo o campeonato. Os dirigentes da FIA queriam impedir de Senna correr, só porque ele falou que foi roubado.

Aí em 1990, Comandante Oliveira estava lá também, quando Ayrton Senna foi campeão e ganhou tri campeonato, um ano depois, em 1991, ou seja, ele estava junto do seu ídolo no Bi e no Tri Campeonato.

Quando Comandante Oliveira começou a trabalhar com Senna (em 1989) ele foi voar o LearJet dele, muito desconfortável, um super avião, mas muito desconfortável.

Indo para Inglaterra, ele encomendou esse outro avião, que era um HS e esperando esse avião chegar, uns seis meses, pois a fábrica estava montando o avião, sendo que Oliveira escolheu a parte técnica do avião e Senna escolheu o interior: as cores e fez lá do jeito que ele queria. Chegou a fazer uma cama lá atrás do avião. Eram bancos triplos que virava uma cama, pois ele dormia nos voos internacionais.

LEIA MAIS

Comandante Oliveira conta como surgiu seu interesse em Fórmula 1

As aventuras de Thierry para ficar perto de Ayrton Senna

 

Tags
Mais

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar