Flamengo

Opinião: Um time e duas atuações no mesmo jogo

Rubro-Negro foi bem no primeiro tempo. No segundo, nem tanto

O Flamengo bateu a Chapecoense, fora de casa, por 1 a 0, e chegou aos 52 pontos no Campeonato Brasileiro. A pontuação do time da Gávea é um recorde na 23ª rodada em todos os anos de disputa.

A atuação do Flamengo no primeiro tempo foi dominante ao time da casa. Em determinado momento, o Flamengo tivera mais de 70% de posse de bola e não deixava a Chape respirar. Diego Alves só tocava na bola quando a redonda era recuada até ele. Troca de passes rápidos e muita movimentação também eram claras. Nos raros momentos que o Verdão do Oeste tinha a bola, o Flamengo marcava em cima e logo recuperava.

As chances eram cada vez mais claras e o gol parecia próximo. Aos 35 minutos a pressão se resultou em gol. Vitinho, que tem sido bastante criticado, cruzou e Bruno Henrique, sempre decisivo, desviou para abrir o placar. Parênteses para Vitinho: o camisa 11 do Flamengo fez boa partida. Com bons passes, toda hora achava um companheiro desmarcado e em boas condições.

Voltando a Bruno Henrique, o camisa 27 chegou ao 21° gol na temporada. O jogador igualou as marcas totais de Alecsandro, em 2014, e Deivid, Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves, em 2011. Ainda na década, somente Vágner Love, com 23 gols em 2010 e com 24 em 2012, além de Gabigol, com 32 nesta temporada, superam o atacante, que tem números excelentes para um jogador que não é centroavante. Para efeitos de comparação, Guerrero marcou 20 gols na temporada de 2017. Esse foi o ano mais artilheiro do peruano, hoje no Internacional.

Segundo tempo para esquecer

Se o primeiro tempo foi de puro domínio rubro-negro, não se pode dizer o mesmo do segundo. É verdade que o time de Jorge Jesus teve as melhores chances, incluindo uma cabeçada na trave de Pablo Marí. Mas o time da casa mudou a postura e levou perigo ao Flamengo.

A Chape voltou com Camilo, que deu outra cara ao time. Aos 15 minutos, Reinier deu lugar a Berrío. A partir de então, o time de Santa Catarina começou a dar um pouco mais de trabalho. Vindo de um jogo muito desgastante no meio de semana, o Flamengo foi perdendo o fôlego. No fim, a busca pelo empate foi na base do abafa, mas o gol não saiu.

Para o Flamengo fica a lição de que não pode se acomodar como foi hoje, principalmente contra times mais fortes. Para a Chape, o rebaixamento parece aproximar-se de forma muito rápida.

 

* Este texto não representa, obrigatoriamente, o ponto de vista da Rádio Opinião.
Mais

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar